Tarado por pica

Isso aconteceu a mais ou menos 6 anos atrás. Certa vez estava caminhando pelo centro da minha cidade, eu costumava fazer isso as vezes quando sentia a necessidade de viver alguma aventura, fazia essas caminhadas durante a noite por volta das 10.30 ou até mais tarde.
Em uma noite dessas caminhando de volta pro ponto de ônibus, senti uma vontade louca de chupar um pau, de acordo com a minha vontade poderia mamar o primeiro que apontasse o pau duro na minha cara. Sempre tive tara por homens mais robustos, gosto de barriga de cerveja, gordo, peludo, cara de homem que trabalha o dia todo no sol e fica com aquele rosto de macho bruto cansado sabe? Frentistas, mecânicos, motoristas de ônibus. Nesta noite

resolvi caminhar a busca de algo, quando final te avistei um homem beirando a terceira idade próximo a um ponto de ônibus. Resolvi caminhar em direção dele e ver se era justamente o que eu estava procurando. Era em uma avenida e não tinha mais ninguém na rua e poucos carros e motos passavam.
Assim que ia me aproximando dele, ele também já começou a olhar pra mim e logo pensei – espero que seja o q busco porque talvez ele esteja afim.

Fui me aproximando dele e fiz uma análise completa, um senhor com mais ou menos 50 anos, moreno, barba cerrada, cabelo curto pouco calvo, um corpo dos típicos homens gordinhos com braços e mãos grandes e coberto de pelos, a perna grossa por ser meio gordinho/fortinho, ele vestia uma camiseta regata verde, uma bermuda bege já um pouco surrada com aqueles bolsos cargos e de chinelos. Pensei – é justamente o que procuro. Mas mesmo assim continuei cauteloso, obviamente ele percebeu o meu interesse porque enquanto me aproximava não parava de analisá-lo da cabeça aos pés. Educadamente falei – Oi, com uma voz bem sugestiva, ele respondeu o que me fez pensar mais ainda que algo poderia acontecer.

Apesar de eu fazer essas caminhadas com frequência, houveram várias situações das quais eu simplesmente não pode avançar mais do que apenas um olhar por muitos motivos, mas ali eu percebi que tudo estava me favorecendo. Assim que passei do lado dele e dei OI continuei caminhando e ele continuou parado, mas até então nada estava certo, percebi que ele era um homem mais sério e talvez estivesse ali esperando algum ônibus. Assim que passei por ele decidi olhar pra trás, isso é 50% certo de acontecer se a pessoa olhar pra vc também sem medo. E foi justamente o que aconteceu, meu coração começou a acelerar quando percebi que ele olhou nos meus olhos fixamente, continuei andando e acabei atravessando a avenida e entrando em uma outra rua da qual eu poderia dar a volta e passar novamente do outro lado da avenida. Pois bem, fiz isso, dei toda essa volta e quando chego em uma parte mais panorâmica onde podia ver o ponto, ele já não estava mais lá.

Fiquei muito chateado porque pensei que ele apesar de ter interagido comigo talvez tivesse pensado – só mais um viadinho safado, to fora.
Fui até o ponto de ônibus, e sentei, acendi um cigarro e ali fiquei por alguns minutos, o ponto de ônibus era quase na esquina do quarteirão, ali tinha vista panorâmica da avenida toda se caso visse ele novamente, enfim, fumei meu cigarro já cansado e decepcionado e decidi ir ao ponto de ônibus pra voltar pra casa (pois o ponto que eu estava não servia pra mim). Quando me levantei, deu aquela olhada ao redor, aquela típica olhada que damos, não vi nada, então atravessei a avenida para seguir entre uma rua paralela, olhei de novo pra todo lado antes de sair da avenida e de repente vejo ele, ele estava todo esse tempo parado na esquina, em algum momento enquanto eu fumava meu cigarro ele apareceu pelas ruas de trás e ficou parada praticamente do meu lado, só que eu não porque tinha uma arvora com um tronco bem grosso entre a gente, tomei um susto, obviamente ele me viu no ponto e ficou ali, não

fugiu, oque pareceu estar interessado, nós olhamos vagamente e eu só o vi quando já tinha atravessado a avenida e logo pensei, oq eu faço agora? O típico, parei, acendi outro cigarro, peguei meu celular e fingi que estava mexendo enquanto o ficava observando, até que ele atravessou a avenida, estávamos praticamente frente a frente do que cada um de lados opostos da avenida, enquanto ele atravessava mil coisas passaram pela minha cabeça, pois como ele estava vindo em minha direção logo pensei que talvez ele viesse pedir um cigarro ou perguntar as horas, porém ele atravessou continuou andando na rua paralela, e novamente enquanto ele atravessava vários olhares rolaram, logo pensei – não é possível que ele homem não queria nada. Decidi segui-lo, e assim o fiz. Logo que ele atravessou e continuou na rua ao lado fui atrás, eles estava caminhando muito devagar, como se estivesse procurando algo

também ou apenas caminhando pelo centro a noite depois de um dia longo de trabalho, continuei a trás dele e ele percebeu porque eu arrastava o pé, tossia pra que ele soubesse que eu estava ali, chegou uma hora que resolvi caminhar mais rápido que ele é talvez tentar puxar algum assunto não sei, foi oque eu fiz, assim que cheguei próximo dele e ia avançando eu disse OI novamente, e ele respondeu. Eu não consegui falar mais nada, a minha voz já estava trêmula porque eu nunca na vida havia feito algo do tipo do qual me expunha tanto. Continuei caminhando a frente dele e quando percebi que ele estava indo na minha direção sem medo algum, parei e acendi um cigarro e fingi novamente mexer no celular, assim que ele se aproximava eu comecei a olhar tanto pra ele e principalmente em direção ao pau, ele obviamente percebeu o meu desejo, quando ele passou na minha frente e me olhando eu tive coragem de abordar e mostrar meu interesse pois percebi que ele ficaria ali na mesma, pois bem, respirei fundo, juntei toda a coragem que tinha e com a voz ainda trêmula, disse – Gostoso.

A resposta dele foi – Olha! Sabe quando usamos “olha” pra mostrar surpresa?, pois bem, foi assim. Ele finalmente parou e claro, me perguntou a hora e logo depois oque eu fazia por ali tão tarde da noite, disse que resolvi ficar pelo centro pra fazer umas coisas, e claro que eu também continuei e fiz as mesmas perguntas, ele me disse que morava por ali e que estava apenas caminhando, aí foi quando ele me perguntou onde eu morava e eu disse que longe, que dependia de ônibus pra voltar pra casa, foi quando ele perguntou se eu ia voltar de ônibus ou não porque já não estavam passando, logo disse – não, eu perdi porque quis, to com vontade de fazer alguma coisa, e foi onde ele perguntou O QUE?

Eu me sentindo tomado pelo tesao disse – estou com vontade de mamar um pau. Ele disse – Nossa, você é gay então. Eu disse – sim, eu adoro mamar. E ele surpreso – entendi. Logo perguntei – você gosta? E ele não entendeu claro e me perguntou – o que? Eu disse – De ser mamado. Foi quando ele me respondeu – Menino, o meu pau já não sobe direito, eu tenho que tomar um azulzinho pra fazer com a muié. Eu fiquei tomado de tesao por isso que ele falou e disse – será que não sobe? Eu acho que sobe sim hein. Ele respondeu – sobe não, menino. E eu disse – posso ver se sobe? A resposta dele foi simplesmente colocar a cabeça pro lado com uma cara duvidosa sobre eu ver. Logo percebi que ele estava ficando meio tímido e não falou mais nada. Aí foi quando perguntei – foi já foi mamado por algum outro cara? Surpreendentemente ele respondeu – sim, eu trabalhava numa firma onde um cara lá me mamou. Eu perguntei animado – você gostou? E ele disse – Sim.

Fui logo ao que eu buscava e perguntei – Você quer? Posso te mamar agora, tenho certeza que vai subir. Toda essa conversa foi acontecendo enquanto caminhávamos pra uma outra avenida. Ele disse – Mas você quer me mamar onde? Estamos na rua. Eu disse – conheço um clube próximo daqui, posso te mamar lá. Ele logo disse – Vamos indo então. Minha boca já começou a salivar , enquanto caminhávamos em direção ao clube ele foi me perguntando sobre a minha orientação sexual e se eu era assumido ou não. Chegamos ao clube e eu ficava cada vez mais excitado imaginando a pica daquela macho na minha boca, estava curioso pra sentir o sabor e cheiro do pau daquele semi senhor. Assim que chegamos no clube falei pra ele que poderíamos ir atrás do mesmo pois não tinha muito movimento apesar de ser área residencial, fomos atrás do clube e infelizmente percebi uma certa movimentação em uma das casas, estavam na sacada fazendo churrasco acho. Apesar desse impedimento ele não falou nada e não se queixou de nada porém eu também deveria ser cauteloso já que tinha conhecidos por ali, inclusive as pessoas que

trabalhavam no clube. Passamos caminhando por trás do clube todo, passamos pela casa onde estavam tendo festa e fui desanimando é bastante frustrado pensando que eu não poderia mamá-lo dadas as circunstâncias. Foi quando quase ao final do muro de trás do clube eu percebi uma portinha aberta, onde era a lixeira do clube, logo pensei “espero que ele não se importe” e sugeri – você se importa se formos ali dentro? Ele super tranquilo respondeu – não, tudo bem. Me animei e paramos na frente da portinha, observamos tudo em volta e passamos pra dentro da portinha que surpreendentemente estava aberta, pois normalmente esses lixos de clube são fechados. Ao entrar haviam poucos sacos de lixo e pra minha surpresa era um cubículo sem teto fazendo com que pouco luz entrasse ali e eu pudesse ver a pau dele.

Entramos fomos no cantinho onde não a havia nada, me coloque de joelhos, ele veio a minha frente, abriu o zíper, o botão, colocou aquela bermuda surrada pra baixo onde puder ver aquelas coxas grossas de macho gordinho/fortinho, e claro, o volume da cueca. A cueca era branca e já bastante surrada também. Coloque minha mão no pau dele sobre a cueca e comecei a acariciar, percebi que aquele pau estava sim subindo e logo disse – acho que você estava errado, porque me parece que ele vai ficar bem duro. Ele não disse nada e puxou a camiseta regata dele pra cima até o pescoço onde eu pude ver a barriga e o peito peludo fortinho, me deu tanto tesao. Quando percebi aquele pau meia bomba mancando na cueca surrada, pensei “agora chegou a parte que eu tanto queria” puxei sua cueca pra baixo, e levemente seu pau pulou pra fora, o pau levemente mais escuro que a cor dele e o saco gordo e

redondo. Alisei o pau dele suavemente com meus dedos e percebia o pau dele crescendo e crescendo, doido pra sentir a minha boca quente e salivando nele. O pau era grosso, não muito grande mas era oque eu queria, mamar aquele senhor bem gostoso. Abri minha boca e aproximei da cabeça, senti o cheiro daquela cabeça e meu corpo começava a tremer, aproximei minha língua naquela cabeça pulsante pra sentir o sabor daquele pau, tinha gosto de macho trabalhador que a mulher já não dava mais conta, enguli aquela cabeça e com movimentos rotatórios alisei a cabeça com a minha língua, percebi um sabor familiar, ele estava soltando pré porra, aquele safado estava doido por uma mamada e me deixou com mais vontade ainda, logo me vi ali no meio do lixo mamando um macho que só precisava de uma conversa é uma mamada, avancei com a minha boca ja salivando e com pré porra no pau desse senhor. Já estava latejando, comecei a mamá-lo, e assim que colocava todo aquele pau na minha boca e aproximava

meu nariz nos pentelhas dele eu pude sentir cheiro de macho, aquele macho que trabalha o dia todo e que só quer uma mamada no fim do dia. Continuei mamando e ele pude ouvir aquele senhor gemendo de tesao, me parecia que não havia sido mamado por dias ou até semanas, continuei mamando e salivando cada vez mais e com as mãos alisando as bolas gordas dele, desci com a boca nas bolas e suguei elas bem gostoso, sentindo o cheiro das virilhas dele e me deixava mais puto ainda. Sai das bolas e pedi pra ele cuspir no pau. Ele mandou um cuspe bem gostoso na cabeça do pau dele e eu não aguentei, cai de boca na quela rola com a saliva daquele macho. Cada vez mais rápido e forte e ele gemendo, foi quando ele depois de dar uma respirada funda me diz – Vo, goza! Continuei mamando mais rápido ainda, tirei minha boca e com minha mão punhetei aquele homem, o pau dele estava deslizando de saliva, aproximei minha boquinha próximo da cabeça dando línguadas , a outra mão massageando aquele saco gordo. Ele deu um gemido onde percebi que a porra estava chegando, continuava línguando e punheta do aquele senhor, até que senti um jato transparente e líquido no meu queixo, continuei estimulando aquele pau pra me dar leite, e

finalmente vi e senti a porra branca saindo com uns dois ou três jatos onde deslizava entre minha língua, lábios e queixo, e depois o leite saindo com mais calma onde deslizava abaixo entre a cabeça o pau e terminando nas bolas, eu sentindo o gosto daquela porra logo ainda de joelhos, coloquei meu pau pra fora e gozei imediatamente próximo dos pés dele, o pau dele ainda todo lavado de porra, dei uma lambida desde as bolas, o pau e terminei limpando na cabeça com uma chupada de despedida. Aquele senhor só precisava de uma conversa, ser desejado e uma mamada, e eu só precisava mamar um pau. Terminamos, ele subiu novamente sua cueca e calça com o pau ainda meio bomba. E saiu pelo portinha do lixo e me disse – pode sair, não tem ninguém. Saímos, demos tchau, eu disse que já precisava pegar ir pra casa pois trabalha cedo no outro dia, e ele me disse – tchau, menino. E eu vou caminhando pra casa.
Segui pra um lado e ele pro outro, nunca mais vi aquele senhor na minha cidade. E é isso.

2 comentários sobre “Tarado por pica

  1. Tenho vontade de tira uma virgindade de uma novinha conhecer mae e filha ou ter uma casada na frente do marido ou ser amigo de uma familia safada rsrs
    Estou aqui pensando sera que ter mae que da para o filho mesmo?
    Me chama no zap vamos bater um papo meu zap e 11947841246

Deixe um comentário

CAPTCHA




enteada gostosatransei com minha cunhadacontos eroticos padrastocontos eroticos encoxadaconto erotico maeconto herotico gaycontos eroticos sobrinhoconto eroticocontos eroticos onibuscontos eroticos sograconto erotico menino gaycontos erotico gayrelatos eróticoincestos contosconto erotico insestoconto erótico de incestocontos eroticos verdadeirocontos eróticos de incestosconto cornocontos de incestocontos eroticos comi minha sobrinhacontis eróticoscontoerotico.comcontos eroticos vovocontos eroticos femininoscontos eroticos na academiacomi minha tia contosconto erotico pai e filhacontos gay recentesconto eróticahistórias eróticosconto erotico femininocasados contoscontos erotixoscontos eróticos com novinhascontos de sexo gaycontos fetichecontos de sexo selvagemcontos eroticos incestocontos eroticos vizinha novinhacontos eróticos de traiçãocontos eroticos irmaoscontos de sexcontos eroticos de insestocontos gay incestocontos eroticos tia e sobrinhocontos eroticos primasconto encoxadacontos eróticos analcontos eroticos gay incestocontos eróticos lésbicocontos eróticos reaisconto erótico tiocontos crossdressconto roticoconto eroticoscasa do conto eroticocontos eroticos avôconto erotico meninocontos eróticos categoriacontos eroticos reaisconto erocontos eróticos.contos eroticos com gravidasconto comi minha tiaxontos eroticossexo anal contoscontos pornosconto erotico meninocontos incestocasados contosconto de putariacontos eroticos genrocontos eroticos com meninascomendo um cuzinhocontos sexuaiscontos adultoscontos eroticos incertoscontos gays cnncontos eroricoscontos eroticos travestiscontos eroticos de sogracontos eroticos ginecologista