Casa da Prima

Este é meu primeiro conto e vou começar me apresentado, me chamo Eduardo (nome nick), moro no Rio Grande do Sul, cidade chamada Lajeado. Sou empresário, me considero uma pessoa alegre, discreta, tenho 36 anos de idade, altura 1,75m – peso 65 kg – 19cm de pênis.
Gosto de ler as histórias e contos aqui relatados, e o meu primeiro conto/ história vou começar descrevendo uma aventura que vive quando ainda solteiro, fui passar uma semana de férias na casa de uma Prima que tem casa no litoral catarinense Praia da Barra.


Pois bem, tenho uma prima chamada “Fernanda”. Fernanda tem 26 anos, uma morena linda de olhos cor de mel, pela morena bronzeada com marquinha de biquíni fio dental , cabelos lisos, longos e pretos, barriguinha fina, peitos e bunda médios, uma delícia.
A casa tem três quartos, um da tia e seu marido, de Fernanda e outro de hospedes/visitas.
Chegando na casa, fui recebido pela prima, pois minha tia e seu marido foram até o mercado para fazer compras. Se cumprimentamos, se abraçamos, um longo abraço, e não pude deixar de perceber o quanto ela estava linda.
Ela me recebeu de biquini, usando um fio dental cavadinho, e por cima um vestidinho de renda de tela, que mostrava todo seu corpo estrutural. Então ela ajudou a tirar as malas, preparou o café, e depois foi me trocar para irmos até a beira mar.

Lá conversamos um monte, sobre vários assuntos. E um deles que mais conversamos foi que ela não estava contente com seu relacionamento, pois seu atual namorado não gosta muito sexo e nem de chupa-la, só queria saber de meter e deu. Então eu disse que se eu tivesse uma gata assim, a primeira coisa faria seria chupa-la ate gozar na minha boca, e que transaria todos os dias se assim possível. Também dei alguns conselhos, damos risadas e mudamos o assunto.
Ela então foi tomar banho de sol, e fiquei ao lado observando-a passar o bronzeador, quando dei por mim, estava de pau duro olhando aquela escultura deitada na areia. Passou algum tempo a danada viu que eu estava excitado olhando para aquele lindo rabo e começou a provocar. Então sugeri que fossemos tomar um banho de mar, para se refrescar, e assim fomos.

Já na casa ela passou a provocar, sempre com sorriso malicioso e quando podia passava por mim esfregava seu lindo rabo contra meu pau, olhava pra trás e sorria. No chuveirinho da rua, ficava se alisando se mostrando, dizia vem tomar um banho aqui para tirar a areia…
A noite antes de dormir usava um pijaminha que a deixava muito gostosa, a antes de dormir sempre passava no meu quarto para desejar boa noite.
Assim ficamos por mais alguns dias…

Chegando o final de semana, marcamos de sair, eu, Fernanda e seu namorado, a tia e seu marido iriam passar o sábado na casa do irmão de seu marido, que ficava a 45 km da praia.
A casa só tem um banheiro e percebi que durante a semana quando ela ia tomar banho já não trancava mais a porta.
Estando nós sozinhos e se preparando para sairmos mais tarde, Fernanda foi tomar seu banho. A danada chegou a esquecer a toalha de proposito, para que eu a buscasse, e quando cheguei ao quarto reparei em cima da cama a roupa que iria usar. Uma langeri preta, fio dental, um vestidinho curto que marcava seu corpo e deixa seus peitos cheios e volumosos. Quando então entreguei a toalha, ele me disse com sum sorriso malicioso: “gostou do que vou usar para você, hoje à noite!” Respondi adorei.
Pensei pra mim, hoje será o dia…

Saímos, para jantar, conhecer os arredores da cidade, e, conheci o tal namorado. Noite boa, já estando quase três da manhã, decidi que iria para casa, pois queria aproveitar o último dia de “domingo” de férias na praia, e assim fizemos.
Fernanda também deu uma desculpa, e seu namorado não ficou para pousar, indo para sua casa. Ali, comecei a perceber a sua maldade.
Quando chegamos esperei um pouco, ela se despediu de seu namorado, conversamos mais um pouco na sala e disse que iria tomar um banho antes de dormir.
Quando volto para meu quarto, quem esta lá? Só com aquela langeri?
Fernanda então diz: “eu disse que vesti isso só pra você, o que achou vendo eu com ela? ” eu estava só de toalha enrolado, nem me contive, fui em direção, e comecei a beija-la. Acariciei cada centímetro de seu corpo. Ela me puxava contra seu corpo, seus dedos entre meus cabelos, uma língua contra outra… eu já de pau duro, muito duro feito pedra e muito excitado. Dava umas mordidas na orelhinha e podia ouvir levas gemidos. Sentia o quanto esta excitada. Apertei sua bunda e passei a mão na sua bucetinha que estava quente, calcinha molhada, nossa que delícia. Então a pequei no colo, e nisso cai a toalha, a levei para minha cama, nos beijamos mais um pouco, tirei seu sutiã, a beijei novamente, fui descendo ate chegar nos seus seios, mamei um por um, chupei cada biquinho e fui descendo, lambi seu umbigo, desci ate chegar em sua bucetinha. Tirei a sua calcinha que esta encravadinha no seu rabinho e molhadinha de tanto tesão. Então comecei a beijar e chupar seus dedinhos dos pés, pé por pé, dedo por dedo, e fui subindo, beijando cada perna, cada cocha, e podia vê-la se contorcendo na cama; suas mãos apertavam o lençol contra o colchão.
Comecei beijando ao redor de sua buceta, até chegar a seu clitóris pequeno e delicioso, comecei a suga-lo deixando ela mais excitada, iniciei as lambidas de leve, e aumento o ritmo, Fernanda me segurava pela cabeça apertava contra seu clitóris, não demorou e pude sentir seu corpo se arrepiar, seu clitóris se contraiu e pude provar de seu gozo. Continuei a chupa-la e coloquei a ponta de um dedo na entrada de sua bucetinha e outro roçando seu cuzinho, mexendo os dedos levemente Fernanda chegou a seu segundo gozo, e este veio com um grito alto, e contrações da sua bucetinha.
Esperei ela se recompor, e seu olhar me dizia que que nunca tinha gozado sendo chupada.
Fernanda, agora já recomposta, disse que agora era a vez dela, que ela queria provar meu pau. Começou me beijando, foi beijando meu peito e foi descendo, agarrou meu pau de 19cm em uma mão, beijou a cabeça e seu longo corpo, desceu até as bolas, onde as chupou, uma por uma e veio subindo. Chupou a cabecinha e o engoliu, fazia um boquete maravilhoso, subindo e descendo com sua boquinha, e que língua maravilhosa.
Fernando agora queria que eu a comesse. A virei na cama, subi por cima dela a dei um beijo em sua boca, me segurou pela cintura, e com uma de suas mão procurou encaixar meu pau na sua bucetinha.
Não foi difícil para entrar, pois Fernanda estava toda meladinha ainda de seus gozos. Assim que entrou, comecei a socar meu pau, bem devagar, no estilo vai vem, e aumentando o ritmo, e podia ver sua face de prazer, e satisfação.
Fernanda agora pede para que a como de quatro, então a virei, se posicionou, empinou aquela bunda gostosa pra cima, abri sua bundinha, lambi e fudi seu cuzinho com minha língua, e comecei a roçar meu pau na sua bucetinha, até que ele deslizou novamente para dentro. Fernanda gemia e me chamava de cachorro, comi sua prima comi, cachorro.
Entrelacei minha mão em seus cabelos e comecei a socar, socar, socar, dando leves tapas em sua bundinha. Ela gemia feito uma putinha no cio, me olha com cara de safada e pedia para socar forte seu rabo, “me comi gostoso meu rabinho primo safado.” Soquei mais um pouco e introduzi um dedo em cuzinho, que era muito apertadinho e delicioso. Fiquei juntando o pau com o dedo dentro do cuzinho, agora socando nos dois. E eu falava, tu nunca foi fodida direito, é assim que você tem que ser fudida prima; gostosa tem quer ser fudida direito, e quanto mais eu falava mais gemia e se melava. Nesta hora Fernanda disse que nunca tinha dado seu cuzinho, que era virgem de cuzinho, e queria tentar comigo.
Sentei na cama e pedi para Fernanda, vir por cima, para cavalgar em meu pau. Queria ver ela de frente por cima, sendo dominadora, sentindo fundo o meu pau dentro dela, onde ela poderia controlar o ritmo e a profundidade.
Assim ela obedeceu, sentei na cama, ela deu uma bela de uma chupada antes e sentou em cima, rebolava, subia e descia, seu jeito de mexer estava me deixando louco de tesão, me segurava para não gozar.
Então Fernanda para tudo, pega um lubrificante e pede para que como seu cuzinho. Lubrifica meu pau, seu cuzinho e volta a sentar por cima, bem devagar, até que meu pau estava todo dentro. Subia e descia devagar, para se acostumar com ele, e foi aumentando o ritmo e percebi que ela estava tentando gozar cavalgando por cima com meu dentro de seu cuzinho, até gozou freneticamente, urrou, gemeu, gritou e desabou em meus braços cansada. Deitada em braços, meu pau ainda duro que nem pedra, dentro de seu cuzinho, falou que nunca tinha dado seu cuzinho ainda mais gozado assim.
Passado alguns minutos, Fernanda me olhou carinhosamente, me deu um beijo e disse, agora é a sua vez, você já me judiou muito nunca gozei tanto que nem hoje, e agora quero sentir o seu gozo.
Pedi onde ela queria que eu gozasse, ela falou em qualquer lugar menos na boca, pois nunca tinha provado porra antes pois tinha receios.
Então pedi para que ela me satisfizesse, provando um pouco da minha porra, já que eu tinha feito ela gozar várias vezes e sentido o seu gozo que por sinal é maravilhoso. Fernanda concorda e disse que iria tentar.
A deitei na cama, subi por cima dela, levantei suas pernas e introduzi meu pau na sua bucetinha ainda melada e comecei a bombar bem de devagar, tirando e colocando, e fui socando aumentando o ritmo, soquei nesta posição até prestes a gozar. A levantei deixei ela sentada e fui até seus peitos e soltei alguns jatos de porra, um chegando acertar sua cara, sua boca. Ela sorriu, lambeu disse que não era tão ruim quanto pensava ser. Fernanda pede para chupar o meu pau, “quero deixa-lo limpinho,” pois amei seu gosto. E assim o fez com sua chupada maravilhosa. Encheu a boquinha com o restante, passou o pau em seus peitos onde ainda tinha porra e chupava, até que consumiu tudo.
Deitamos, descansamos, e fomos tomar um banho. Namoramos mais um pouco em baixo do chuveiro, e fomos nos deitar, dormimos de conchinha, onde aquela bunda gostosa já estava fazendo preção no meu pau que já estava durão de novo.
Domingo aproveitamos a praia, e me despedi no final do dia, acabando assim minhas férias na Casa da Prima.
Se vocês casais, casadas, solteiras que desejam fazer algo sem compromisso, com muito sigilo, descrição, higiene e educação, entrem em contato, [email protected], sou de Lajeado/RS, no email mando contato de watts.

Deixe um comentário

CAPTCHA




contos eroticos para mulherescontos eroticos sogrotravesti contoscontos de casalcontos eróticocontos podolatrascontos erotico incestocontos eroticos femininoscontos eróticos de cornocontos eroticos verdadeiroscontos eróticos lésbicascontos de traicaocontos eroticos sobrinha novinhacontos eroticos gozando dentrocontos eroticos encoxadascontos eróticocontos amadorescontos eróticos de novinhascontos eroticos a forçacomendo meu primoconto erotcocontos encoxadasrelatos de sexocomi minha sobrinhaconto erotico incestocontos gay sexoincestoqueria ser cornocontos eroticos ilustradoscontos pornôcontos eróticos travesticontos eroticos verdadeiroscontos de sexoscontos heroticoscontos eróticos brcontos eroticos de novinhasrelatos eróticoconyos eroticosminha esposa nuaconto erotico lesbicocontos eroticos veridicoscontos de sacanagemsexo contoscontos eroticos casaiscomi minha cunhada contoscontos erotixoscontos de sexosconto erotico realdei pro amigo do meu maridocontos eróticos grátisconto erótico lésbicogay contos eroticosconto erotico lesbicascintos eróticoscontos eróticos analcontos eroticos no ônibuscontos pornomeus contos eróticoscontos eróticos casa de swingcontos eroticos incestoscontos pornôscontos eroticos insestoscontos gay primeira vezcontos de coroascontos reais de sexocontos de incestocontos gay casa dos contoscontos eroticos gayscontos eroticos mae e filhocontos eróticos gayscontos heróticoscontos eroticos punhetacontos eróticos gaysimcestoconto erotico esposaconto erotico tiasexo anal contoscontos eroticos de gayconto/eroticocontos cunhadinhaconto erotico gay ultimoscomi minha tiacontos de incesto realmeu marido cornocontos eróticos sobrinhacontos eroticscontos eroticos escritoscontos erótico gayconto erotico maerelatos incesto