Cunhada dos sonhos

Olá pessoal, meu nome é Jhone, tenho 37 anos, branco, 1,80 cabelo comprido, barba média bem feita, corpo normal, modéstia parte sou bonitão e atraente, com cara de macho, moro em Belo Horizonte, atualmente sou motorista na Uber.
Esse conto é verídico e aconteceu essa semana.
Estou namorando tem 1 ano e meio e gosto muito da Lara que é muito bonita e gente boa, nos damos muito bem e sempre que posso saio com ela, as vezes ficamos em casa e as vezes vamos no fim de semana na casa dos pais dela que me tratam muito bem por sinal. Me lembro como se fosse hoje as primeiras vezes que fui a casa dela e na terceira vez no portão estávamos num pega gostoso quando de repente ouvimos uma voz dizendo: Eita Lara, que isso einh?!

Era a Júlia sua irmã e minha futura cunhada. Uma morena alta e linda, só olhei disfarçadamente mas sem maldade, daí pra frente aos poucos fui indo mais lá até a mãe dela me convidar a entrar pois também queria saber quem eu era, com quem a filhinha protegida dela estava ficando, um cara de 11 anos mais velho. Na primeira vez nem fui mas com o passar dos dias foi ficando inevitável pois já era praticamente um namoro.
Os pais dela me receberam muito bem assim como Júlia minha então cunhada, sempre com um sorriso que sinceramente nunca pareceu passar de simpatia, seu pai mais sério mas que gosta de um bom papo, a mãe dela ligo de cara já foi ficando minha fã.

Resumindo eram uma família nornal como todas. O tempo foi passando e cada vez fui ficando mais de casa e algumas vezes até dormia lá, mas poucas vezes pois o pai dela é meio das antigas e também sempre dormíamos em camas separadas. Me tratam muito bem e eu a eles sempre solícito no que precisarem de mim, uma boa relação. Minha namorada é como disse muito legal mas às vezes muito seca na forma que me trata, sinto que as vezes faço muito mais por ela que ela por mim, mesmo sentindo que me ame. Minha cunhada Júlia era casada e tem um filho de 7 anos que também me dou muito bem com ele, mas vivia em pé de guerra com o marido e por vezes se

separavam e nisso sempre tava saindo e contando que tava afim de separar de vez até que uma época acabou se divorciando, isso já tinha 1 ano do meu namoro com Lara, que trabalha em shopping e estuda curso técnico. Dessa vez parecia que iria ser de vez pois parece que foi feio a coisa, nisso daí a mãe dela estava ajudando ela a se mudar, sair da casa onde viviam, e por acaso tinha ido lá pegar meu óculos de sol que havia esquecido outro dia, quando cheguei minha sogrinha me pediu educadamente que ajudasse Júlia a buscar algumas coisas no meu carro e levar para outro lugar, nessa época já olhava para Júlia com um desejo contudo que não deixava transparecer e nunca nem brincava com ela só tratava na boa. Aí ficamos lá na casa da sogrinha conversando e planejando oque buscar primeiro pois teria umas coisas que ia levar pra casa da mãe dela também porque iria ficar lá até se resolver e dona

Lurdes que dizia: Júlia você tem que pagar o Jhone por isso, nem que seja comprar umas cervejas pra ele, lógico que não iria cobrar mas minha sogra papo ia e vinha falava isso da cerveja e eu disse que cerveja era difícil de negar. Aí fomos os 3 na casa onde ela morava com o cara buscar umas coisas, ele não ficava lá essa hora, minha cunhada usando uma camiseta e short curtinho verde meio folgado estava um tesão mas evitava ser pego admirando. Lá na casa minha sogra saiu e ficamos nós 2 e conversando e falando sobre a mudança, nada de mais, pegamos as coisas e fomos pra casa da minha sogra levar umas coisas e lá chegando ela falou: Júlia esse menino é um amor e muito prestativo. Vivia me elogiando minha sogra, até tinha horas que eu suspeitava se era só o jeito dela franco ao extremo

de ser ou se…. Minha sogra depois me pediu para ir com Júlia ao centro da cidade levar umas coisas que iria doar num caridade, e falou que não poderíamos contar pra minha namorada que havia saído sozinho no carro com ela pois era muito ciumenta, ainda mais com a irmã e sempre notei uma certa rivalidade entre as duas e em pensamentos as vezes me pegava pensando se haveria chances de me aproveitar disso, quando via já estava pensando. Era algo que me escapava pois não queria me envolver com minha cunhada mas não tirava ela da cabeça nunca e morria de ciúmes quando ela falava que tinha conhecido alfum cara. Nisso aí fomos nós dois levar as coisas e falamos de nós de nossos relacionamentos mas nada nunca fluía. Na volta só prometemos não contar pois afinal não tinha rolado nem clima mas minha namorada não poderia saber. Voltamos e chegando na casa delas minha sogra

logo cantou a pedra: Cadê a cerveja do rapaz? Já comprou? E eu curtindo aquilo só na minha. Minha sogra é muito transparente e eu muito observador, nisso aí as vezes ficava juntando as coisas que ela dizia e parecia que ela ficaria mais feliz se eu tivesse namorando com Júlia do que com Lara, hoje em dia não parece muito mas já me fez refletir muito as coisas e o jeito dela falar. Daí fomos Júlia e eu ao Extra buscar as cervejas e lá na saída já abri uma latinha e fui bebendo e pra minha surpresa ela me pediu para beber na mesma lata, isso me surpreendeu pois vi que não tinha nenhum receio nem nojo de mim, aí chegamos e continuamos a beber e o clima era bem legal até meu sogro chegar e quebrar o clima. 1 semana depois fui levar ela no centro da cidade, dessa vez ela estava toda arrumada e cheirosa, fiquei louco e fiz um pequeno elogio quando ela jogou no ar que não estava contente com a produção, mais um dia

em que a timidez e o respeito reinaram sobre a oportunidade e acima do desejo. Algo me despertava muito desejo e curiosidade pois como disse sou observador e por algumas vezes quando estamos ela, a mãe e eu na casa e as vezes também o filho, ela saía do banheiro só de toalha e passava em direção ao quarto, nunca jamais com o pai ou minha namorada na casa, isso me deixava cada dia mais cheio de desejos em Júlia, uma vez fui lá levar umas roupas num sábado e esperar Lara chegar, e estavam dona Lurdes, Júlia e o filho dela, nessa época já havia se mudado para Lagoa Santa uma cidade perto de Belo Horizonte pois havia arrumado um bom emprego lá e as vezes vinha nos fim de semana visitar os pais fui ao banheiro e Julinha acabara de sair do banho e dava para sentir o perfume dela e para minha surpresa no cesto de roupas vi que o vestido de dormir dela estava dentro, pensei no quanto era errado pensar aquilo, que não poderia pensar e deveria resistir, minha namorada por vezes era seca como disse e não é tão

carinhosa igual gosto e não resisti e acabei pegando o vestido e logo me encheu de tesão pois tava com o cheirinho dela pois estava usando antes do banho, levei ao rosto e passei no rosto e senti algo mais, era a calcinha da Júlia, tentei me segurar mas não tinha jeito pois estava louco de tesão e meu pau duro igual pedra, modéstia parte é de um bom tamanho, grosso e cabeçudo, comecei a cheirar e cada cheirada meu pau ficava pulsante e bem na parte da xotota tava úmido como se ela tivesse se masturbando no banheiro, um cheiro que me deixou completamente louco, passei ela no pau, enrolei e esfregava e enforcava meu pau com ela que só ficava mais duro, tive que me segurar pois comecei uma punheta frenética e pensando nela se masturbando ali no mesmo banheiro dentro do banheiro da minha sogra, me sentia um tremendo sacana que tava profanando a casa dela batendo uma punheta pra minha

cunhadinha tesuda, aquele cabelo preto comprido até perto da bunda redondinha, os peitinhos médios e empinados, até demais para idade dela que é a mesma minha, quando não me aguentava mais e ia gozar ignorando todo respeito que tinha pela casa escuto baterem na porta, era minha namorada que havia acabado de chegar pedindo pra andar rápido pois precisava entrar urgente. Meu coração quase saiu pela boca e voltei a sanidade e comecei a pensar que ia gozar muito e ia ficar com cheiro o banheiro e seria uma tremenda confusão se elas percebessem. O foda era que meu pau não obedecia e não ligava pra nada disso e continuava duro igual pedra e ela chamando insiatindo, dei descarga, joguei o vestido dentro do cesto na hora do barulho da descarga. Saí e ela entrou e meu pau ainda duro na calça e eu meio tampando sem graça saí. Fiquei encostado meio de lado conversando com minha sogrinha e quando Júlia entra com um vestido preto que não conseguia parar de olhar e ela parecia perceber e eu meio que fingia que não sabia que ela estava percebendo continuei olhando, meu pau tava quase sob controle mas nessa hora começou a crescer dinovo, se eu segurasse dava nas caras se eu andasse dava pra ver pois minha calça era dessas de esporte com tecido sintético bem fino e leve, se virasse pro lado minha sogra via pro outro a Júlia veria, segurei a piroca meio disfarçando e sentei no sofá e peguei a almofada mais próxima e tampei, acho que ambas perceberam mas foi de boa, minha namorada saiu e me chamou pro quarto.

Passou 1minuto e dona Lurdes falou que ia levar Júlia no ponto, eu tava já prevendo que iam me pedir pra levar Júlia na casa de umas amigas e que iam beber lá mas Lara chegou bem antes pois se sentiu mal na aula complementar de sábado e veio embora estragando mais uma saída que seria mais uma escondida pois minha sogra quando rolava isso pedia pra não falar nada pra não gerar ciúmes mas puxava um saco de Júlia que se aproveitava para tirar vantagem sobre a irmã, as vezes ela pedia pra levar ela e o filho em algum lugar me pagando a corrida mas minha namorada sempre que podia vetava por ciúmes. As duas saíram pro ponto, ainda sentia meu pau duro comecei a passar a mão nos seios de Lara que falou, pra parar e eu disse que estavamos sozinhos e que tinha desejo de meter nela na cama dela e ela dizia que não deveríamos e eu fui beijando o pescoço dela e acariciando o corpo dela por traz até na virilha e ela ficando excitada mas com receio e eu pedindo no ouvido dela que era uma fantasia minha e fui devagar chegando na xoxota dela e ela foi cedendo, meu pau já estava empurrando a bunda dela quando ela botou a mão assustada e disse: Nossa amor, realmente essa fantasia tá deixando você louco e eu também, mas tem que ser rapidinho pois o ônibus é rápido…. Já tirei a blusinha dela abaixei a calça dela e a minha, botei ela sentada na cama e dei meu cacete pra ela mamar gostoso, ela ficou louca pois meu pau estava estalando de duro e veio com aquela boquinha linda, quente e molhada me engolindo até o meio do pau, não consegue engolir todo pelo tamanho e também não tem essas habilidades e sempre que forço ela engasga kkkk Já logo comecei imaginar a Júlia mamando meu pau com aquele vestidinho preto que a deixou mais gostosa ainda, puta que pariu eu pensava, como eu tava

perdendo a cabeça por minha cunhada, minha namorada me fazendo um delicioso boquete e eu pensando na minha cunhada, tentava concentrar nela mas o cheirinho da calcinha ainda parecia estar agarrado na minha barba. Tirei da boca dela e segurei na base e comecei a dar boas pirocadas na cara dela com força, ela assustada pois não havia visto esse meu lado cachorrão ainda me olhando com carinha de tesão e de medo dizendo; aí amor, aí, aí, meu rostinho, aí amor, que isso?;! Nossa seu pau tá duro demais vai marcar minha cara e eu batia por tesão, por raiva, por desejo nas duas, batia pois queria de certa forma me punir pelo desejo proibido e pelo tesão do momento, do cheiro de Júlia…. Ela depois de umas 30 boas pirocadas na cara pediu: Aí amor, que delícia, nunca apanhei assim, vai ter que fazer sempre, e eu disse que era só pedir,. Ela falou: amor, minha mãe já deve estar voltando, me fode logo meu cachorrão! Que fantasia louca, agora realizo todas as vezes que pedir…. Botei de 4 na cama, pincelei a bucetinha dela, pus na portinha e meti todo de uma vez com força e até o talo, e ela deu um grito: Aíiiiiiiiiiiiiiiiii!!! Que isso amor,?! E continuei estocando forte e rápido, ela gemia alto sem ter medo da sua mãe chegar e eu na pegada forte na cintura metendo sem parar, ela gemendo muito Aí aí aí AÍIIIIII AÍIIIIII AÍIIIIIIIII, VOU GOZAAAAAARRRRR! AHHHHHHH AHHHHHHH AAAHHHHHHHHHHHH!!!
Gozou loucamente tremendo descontroladamente no meu pau. Eu aproveitei e puxei pelos cabelos e continuei fudendo e falando no ouvido dela: Goza pra mim vai! Goza! Goza! E ela sem perder o orgasmo gozou muito no mesmo ritmo frenético tremendo tanto que até a cama balançava.
E foi bem na hora pois logo escutamos a porta abrir e nos vestimos as pressas e ficamos olhando a tela do computador, dona Lurdes chegou na porta olhou pra gente com uma cara estranha incriminadora tipo de eu sei oque vocês fizeram no verão passado soltou um: HUM! A crianças….. Ela tem um olfato muito bom…..E foi pra sala, depois passei pra beber água e ela ficou mandando o mesmo olhar mas tudo ficou de boa, ela sempre ia visitar a filha em Lagoa Santa e sempre chamava a gente pra ir mas nunca dava, sempre trabalhando nunca sobrava tempo pra mim.
Até que um belo dia foi aniversário do Mateus o filho da Júlia e todos queriam ir inclusive minha namorada que mesmo dizendo que ia ser legal no fundo sempre ajudava a desanimar pois não tinha bom relacionamento com a irmã mais velha, sempre disputando espaço as duas, mas como estava um tempinho sem ver a mãe que também estava tinha 3 semanas em Lagoa Santa ela quis ir até porque gostava muito do sobrinho e não queria fazer desfeita. E deu sábado de tarde e fomos pra lá eu e ela, o pai dela não foi por causa do trabalho mas eu desconfiava que era pra sair com os amigos pro bar pois dona Lurdes vivia reclamando….. Chegamos lá e estavam os 3 sogrinha, cunhada e “sobrinho”. Minha cunhada estava bem simples mas estava linda como sempre com uma blusinha comportada mas mostrando o volume dos seus seios lindos e empinados, cabelo arrumado, liso e cheiroso como sempre, rosto maquiado simples mas muito bonita, com um batom avermelhado mas discreto, uma saia longa tipo indiana que marcava bem sua cinturinha e mostrava o volume da sua bunda redondinha e arrebitada. Logo veio nos abraçando e beijando o rosto, que perfume delicioso do corpo dela, inebriante, minha namorada tava menstruada e era toda fresca com isso e tinha nojo de transar assim, além disso já estávamos num ritmo cansativo onde mesmo antes dela menstruar estava já tinha uns 6 dias sem nada com ela e contando o pré menstrual e o período de menstruação que era o último dia já dava muitos dias sem sexo, nem punheta eu também estava tendo tempo, no sábado de manhã fui na casa dela buscar ela mas ela não quis porque ainda era o último dia, quis bater uma punheta pra não ter risco de dar bandeira com minha cunhadinha e a família dela pois sabia que ia ter bebida e eu estava muitos dias sem sexo, pareço um safadão mas queria lutar contra aquele desejo pois tinha medo de perder minha namorada e criar uma briga na família. Júlia já foi chamando a gente pra mostrar o apartamento, minha namorada não foi na hora e ela me puxou pelo braço dizendo, vem ver… e eu fui, ela mostrando mas só conseguia olhar a bunda dela enquanto andava e seu perfume parecia me puxar pelo corredor, já nessa hora acho que perdi a guerra contra o desejo mas não iria fazer nada de loucura,
meio que só pensando em admirar e por sorte o banheiro dela era no quarto e tinha o social, então não teria perigo de ver a calcinha dela novamente. Tudo animado, típica festa de criança com uns amiguinhos dele que iam chegando com as mães, mas no máximo mais umas 8 pessoas, apartamento grande de 3 quartos, sala grande, varanda boa, tudo muito legal, a cidade é bem bonita também… Nisso eu ali de boa tomando uma com minha namorada e minha cunhada também, tira gosto, molecada brincando, minha cunhadinha quando chegamos já tinha bebido um pouco e nós fomos no embalo, ela já estava mais soltinha, feliz pela festinha, minha sogrinha curtindo também, minha namorada feliz por estar lá e me agradecendo por levar ela pra lá pois fica a umas 2 horas de carro da nossa casa. Júlia esse dia por ter bebido e discutido com um carinha que tava conhecendo da cidade tava meio chateada e bebendo um pouco mais, tava soltinha dançando sem parar, uma hora cruzamos no corredor da área de serviço pois havia ido fumar e ela passou de lado esbarrando, por estar meio chapada dava a impressão que ela quis fazer de propósito mas não conseguiu disfarçar direito. Fiquei mais louco e toda vez que passava sentia aquele perfume que parecia me hipnotizar, minha namorada bêbada também e muito mais cansada do que eu pois acordou cedo pra fazer prova do curso e também na noite anterior foi dormir na casa dela para estudar oque foi bom porque estava uma pilha de nervos, acabei dormindo cedo e acordando bem tarde, ela pegou com a mãe de conversa na sala enquanto eu ficava mais avulso brincando com as crianças e minha cunhadinha meio alcolizada dançando, e muito animada passa meio que me dava uns olhares diferentes, fui na cozinha pegar uma cerveja na geladeira e do nada ela apareceu dizendo: Oi cunhadinho quer cervejinha né? Pega essas do fundo que estão melhores, mas nisso ela entrou entre mim e a porta passando seu pescoço bem pertinho da minha boca e deu uma abaixada pra pegar que bateu aquela bundinha maravilhosa no meu pau por 2 segundos que pareciam ter sido 2 horas, se virou ainda bem pertinho de frente brindou me fitando uns 3 segundos, meu coração quase parou na hora, O cheiro, o olhar, o batom, a bundinha…. Quase não acreditei, e pra piorar eu já tava meio sobre efeito, nada que me tirasse a razão mas que me dava um pouco a mais de coragem, ao sair e chegando perto da virada pra sala ainda deu uma olhada pra trás.
O tempo foi passando, o pessoal foi indo embora e ficamos só nós. Minha sogrinha esse dia resolveu tomar vinho mas era muito fraca pra bebida e logo tava ruim e havia feito todos preparativos praticamente sozinha, oque a deixou muito cansada e foi para o quarto dela e logo logo a gente na sala ouvia os roncos. Matheus tava desde cedo na rua pois foi passear com os amiguinhos e brincou o dia todo e a festa toda e já tava dormindo pelos cantos e acabou que sobrou pra mim levar ele pro quarto da mãe pois eu e Lara íamos dormir no quarto dele. Na hora que entrei ela veio comigo esbarrando em mim para ajeitar ele na cama me olhando nos olhos, pegou minha mão com carinho e agradeceu; Nossa Jhone você é um cara muito bacana, a Lara tem sorte de ter você e não parece aproveitar isso…., e eu sem jeito e com medo dela chegar só disse pois é Júlia ela não está aproveitando… E soltei a mão e voltei pra sala e Lara já disse que queria dormir e me puxou pro quarto, trocamos de roupa, tentei excitar ela pra ver se rolava alguma coisa pois tava louco de tesão pois não saia da cabeça a cena da geladeira. Em poucos minutos ela já estava dormindo. Não consegui ficar lá e pensei em tomar mais uma pra ver se o sono batia pois tava muito agitado, levantei e mesmo sem tomar cuidado ela não acordou, no corredor um silêncio, exceto pelos roncos da dona Lurdes, portas fechadas, cheguei na geladeira peguei uma longneck e ao virar dou de frente com Júlia só com um beibedol rosa de bolinha, o coração disparou e parei e antes que dissesse alguma coisa Júlia já foi falando em tom baixinho: Que isso cunhadinho, tá sem sono? Também estou sem sono. Me dá um gole dessa cerveja…. E já veio e pegou da minha mão e foi bebendo um gole deixando até escorrer pelos cantos até o meio dos peitos,. Nossa cunhadinho me molhei, que desperdício. Pra você estar aqui essa hora minha irmã realmente tá deixando você na mão, tadinho. Meu pau na hora ficou duro igual pedra e eu só de short não tinha como esconder, ela logo viu e falou? Nossa cunhadinho que maldade ela tá fazendo com você… E você está fazendo comigo… Olha que volume todo é esse, deve estar acabando com minha irmãzinha, tadinha dela, dúvido que ela aguenta isso tudo..
Já estava sem controle e uma parte de mim sabia que era errado mas essa hora já não me importava com as consequências pois o desejo que tinha na Júlia era muito maior. Deixa eu ver e meteu a mão e baixou meu short e fez uma cara de espanto e desejo quando pulou pra fora duro igual pedra apontando pra cima. Sussurrando ofegante: Não posso deixar ela cuidar disso tudo sozinha e pegou, NOSSA que pau grande e quente cunhadinho, nooossaaa e foi punhetando e nos beijamos enquanto ela punhetava gostoso, como imaginava deu pra saber na hora nos primeiros movimentos que ela era muito mais experiente que a irmã, meti a mão por baixo do beibedol e peguei aqueles peitinhos médios muito mais volumosos que os olhos podem ver empinadinhos com os biquinhos durinhos, fomos nos beijando loucamente e eu beijava de língua de forma louca e voluptuosa a boca o pescoço lambia a orelha dela que gemia baixinho muito ofegante, meu coração disparado pelo tesão e pelo medo, ela batia uma punheta maravilhosa pra mim que já tava com a cabeça do pau toda molhadinha e ela passou a mão e levou na boquinha e disse que delícia cunhado e voltou a punhetar, nisso minha outra mão já havia passeado no corpo dela todinho, que bunda maravilhosa ela tinha, enfiei a mão entre as pernas vindo por baixo e as coxas dela estavam escorrendo, ela foi ficando mais louca a cada centímetro que fiz questão de explorar até chegar naquela bucetinha lisinha, depiladinha extremamente molhada de tesão, começou a gemer muito mas se controlando, fui batendo uma siririca pra ela que começou a ficar muito louca de tesão dizendo no meu ouvido que sempre me desejou loucamente, meti um dedo dentro dela em pé mesmo enquanto mamava gostoso os dois peitinhos dela, ela segurou forte minha cabeça e foi gemendo muito mas baixinho, AÍIIIIIIIII AÍIIIIIIIIII IIIISSSOOOOOO ASSIIIIIIIIIIIMMMMM VOU VOU VOOUUU GOZAAAAAAHHHHAARRR
E gozou gostoso na minha mão, já toda descabelada abaixou e caiu de boca na minha vara dura igual pedra, toda melada da punheta, que pau maravilhoso, lambia da base até a cabeça onde dava uma lambida mais gostosa ainda, e descia e subia me levando a loucura, tinha que segurar pra não gozar e ela punhetava enquanto abocanhava num vai e vem rápido, molhado intenso mas sem forçar pra não machucar, parecia que ela leu meu manual do boquete perfeito! delicioso! Perfeito! Ela depois pra completar foi engolindo aos poucos até pertinho da base, mais que a irmãzinha, que boquete perfeito Júlia, isso e saiu num vai e vem dinovo. Era pouco tempo e muito arriscado pois a gente na volúpia esquecia de prestar atenção se as portas iam abrir e no barulho da casa. Quis aproveitar tudo e levantei ela de pé mesmo cai de boca na xoxotinha dela, que delícia de buceta, o cheiro, o tamanho, o formato, mesmo com a luz baixa e pelo tato dava pra saber que era fechadinha, grelinho a conta de tampar, fui lambendo com todas técnicas que sabia e tudo que fazia ela enlouquecia, segurando meus cabelos com força e tampando a própria boca pra não fazer muito barulho, descobri o ponto que ela gostava e fui bem rápido e molhado fazendo ela enfraquecer as pernas e nessa hora meti 2 dedos e fui num ritmo alternado onde rapidamente ela gozou dinovo e dessa vez tremeu o corpo todo descontroladamente igual sua irmãzinha mais nova e aquilo me deixou mais louco de ver essa mesma reação, tanto que ela teve que se apoiar no meu ombro pois quase caiu de fraqueza. Ela me beijou loucamente dizendo que nunca gozou sendo chupada. Botei ela de costas apoiada na mesa e pincelei a cabeça do pau na portinha da buceta dela e fui metendo aos poucos aquela bucetinha quente e molhada, queria sentir cada centímetro da minha cunhadinha safadinha, ela parecia estar uns 10 anos sem sentir um pau pois cada centímetro que ia entrando a cabeça grande do meu pau ela ia tremendo e gemendo aumentando a intensidade. Quando entrou tudo deixei bem no fundo pressionando pra dentro fui beijando a boca dela bem gostoso e comecei de vagar ir metendo, beijando ela enquanto tocava os peitinhos dela, dava pra sentir a buceta dela jorrar de tesão. Fui metendo e sentindo aquela bunda maravilhosa contra meu quadril e lá foi rebolando gostoso e pedindo, vai cunhado safado, mete, mete, mete na sua cunhadinha, mete mete gostoso, aiiiiiiiii aiiiiiiii fode a bucetinha da sua cunhadinha safado fodeeee fodeee aí ai ai ai ai não aguentava mais aquela visão minha tão desejada cunhada arrebitada pra mim a minha mercer entregue totalmente já sem medo de sermos apanhados arriscando todo relacionamento da família. Aquela imagem dela arrebitada, aquela bundinha maravilhosa, aquele cabelo longo e preto liso, já todo colando no suor de prazer, aquele cheiro maravilhoso que exalava da minha cunhadinha, o vai e vem e fui beijando ela enquanto fodia mais forte e sentindo tudo isso ao mesmo tempo ela gemendo AHHHHHH AIIIIIIII AIIIIIIIIIIIIII AIIIIIIIIIII JHONE AIIIIIIIIIII VOU GOZAR! VOU DINOVO! AIIIIIIIIIIIIIII AAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHH…! E GOZEI MARAVILHOSAMENTE JUNTO COM ELA.
Meu pau jorrava jatos fortes e a bucetinha apertadinha dela começou sozinha a apertar meu pau tremendo apertando e liberando e apertando rapidamente e o corpo dela todo no mesmo ritmo.
Incrível ela ter orgasmos igual a irmã dela.
Meu pau continuou dentro com alguns espasmos e a bucetinha dela também.
Enquanto a beijava por trás pressionando meu pau dentro dela. A MELHOR FODA DO MUNDO!
Antes de tirar o pau ela me jurou pelo filho dela que nunca tinha tido orgasmos daquele jeito de tremer toda e nem sendo chupada. Antes de terminar o movimento de tirar ela me beijou e disse que me amava e que a fiz a mulher mais feliz do mundo.
Ela foi para o quarto rindo baixinho dizendo que tava com as pernas fracas.
Na hora eu curti muito, depois no outro dia fiquei muito preocupado com essa frase.
Vesti meu short peguei uma toalha na área de serviço e fui direto para o banheiro onde lavei até meu cabelo mesmo a noite pois o cheiro dela estava impregnado no meu corpo.
Naquela noite minha vontade era dormir com a Júlia ou para transar mais ou para passar a noite sentindo aquela sintonia pois foi algo que só deve acontecer uma vez na vida, e olha que sou muito experiente nesses assuntos.
Terminei o banho e saí olhando se ela tava por alí pois não queria encontrar com ela por medo de não resistir pois a essa hora já tinha voltado a consciência da loucura que acabamos de fazer, por sorte não fomos surpreendidos.
No outro dia acordamos cedo e fomos embora eu e minha namorada, nem quis me despedir de ninguém pois sabia que não conseguiria olhar pra ela sem dar na cara.
Depois disso não nós vimos mais e por ciúmes agora justificados da Lara não temos contato nenhum de WhatsApp nem rede sociais.
Não sei oque vai ser quando a ver mas quero muito ter ela novamente.

Meu nome é Jhone e essa foi a MELHOR FODA DO MUNDO!

[email protected]

1 comentário em “Cunhada dos sonhos”

  1. Sou louco para pegar uma evangelica casada ou uma mae e filha juntas ou tira uma virgindade ou pegar uma casada na frente do marido quem estiver afim me chama no zap 11.9.4.7.8.4.1.2.4.6

    Responder

Deixe um comentário

CAPTCHA




site de contos eroticoscontos eroticos de novinhascontos erotocosconto erotico tioconto eroticocontos cdzinhacontos comendo a sogrameu primeiro boquetecontos sexycintos eróticosconto de corno mansoconto porno incestoconto erotico casadaconto erotico primocontos eroticos traindo o maridominha esposa nuapodolatria contoscontos eroticos de sobrinhascontos eroticos sobrinha novinhacontos eróticos irmãconto erotico meninocontos eroticos sobrinhoconto erótico travesticontos cornoscontod eroticoscontos erotico reaisprimeira vez na casa de swingconto erotico gostosoconto eroticos reaiscontos erconto corno mansovontos eroticosconto erotico academiacontos pornôconto insestoconto erótico lésbicacpntos eroticoscontos crossdressercontos eroticos insestoscontos de incestoscontos safadoscontos eróticos analcontos eróticos lesbicosconto eróticos onlinecontos eróticos de incestocontos eroticos selvagemhistorias de incestocontos sexocontoerotico incestocontos de sexowww.contoerotico.comcontoserconto eriticocontos eroticos sobrinhoconto eroticcontos eroticos com a sogracontos eróticos curtoscontoeroticoscontos eroticos carrocomendo a sogra contosconto eróticos onlinecintos eróticoscontos eroticos mulher do amigocontos crossdresseróticosgay contos eroticoscontos eroticos padrastocontos de incesto mae e filhonovinhos na punhetacontos de encoxadascontos eroticos incestoscontos eroticos com avocontos eroticos proibidoscontos eroticos comendo a sobrinhacontos/eroticoscontos eroticos madrastacontos traiçãocontos eroticos.comconto eroticos gayrelatos eroticoconto eróticocontos eróticos netcontos eroticos festacontos eróticos incestocontos eroticos de meninas novinhasconto gayscontos eroticos fantasiacontos eroticos de insestocontos gays 2018contos de coroascontos eroticos mulher do amigocontos eróticos perdendo a virgindadecontos eróticos novinhocontos eroticos de mae e filho