Descobri minha cunhada safada

Olá, me chamo Bruno, tenho 28 anos, sou branco altura mediana e gosto muito de praticar esportes.

Sempre tive muito tesão pela minha cunhada, Bia, irmã da minha esposa. Ela é morena, 31 anos, cabelo platinado, olhos claros, lábios carnudos com um lindo sorriso, magra, tem 1,65 mt de altura mais ou menos, pele dourada, seios grandes (que sempre tive muito tesão neles e curiosidade em pelo menos vê-los), tem uma bunda pequena mas bem redondinha e com as usa roupas que deixam o formato de sua bunda mais atraente e um belo capô de fusca que sempre reparava e mal conseguia disfarçar quando ela usava biquini.

Enfim, íamos viajar para uma casa que alugamos num feriado prolongado, ia eu minha esposa e as crianças, minha cunhada com os filhos também, mas sem o marido, pois iria trabalhar naquele feriado. Minha cunhada, que estava de folga na véspera, foi na frente para organizar as coisas, eu iria direto do trabalho na quinta no inicio da noite e minha esposa iria a noite tbm com as crianças, mas saindo de outro ponto. Mas a empresa de ônibus adiou a viagem da minha esposa para o outro dia de manhã, devido a um problema no ônibus.

Sendo assim, comprei 2 garrafas de vinho e cheguei a noite na casa e só minha cunhada estava lá, ela pediu que eu deixasse as bagagens no quarto dela, pois o outro quarto ainda estava desorganizado, deixei a mala e fui tomar um banho.

Depois do banho jantamos juntos, tomando uma taça de vinho, estava cansado demais e precisava relaxar.

Tomamos o vinho, trocamos uma ideia, mas eu não daria em cima dela, por mais que toda aquela situação tivesse mexendo com minha imaginação, tava doido para dar uns amassos nela e transar loucamente com ela, eu tinha medo de não conseguir e ela contar para minha esposa, afinal a Bia parecia ser uma pessoa muito correta. Ela terminou a segunda taça de vinho e disse que ia subir para dormir, pois estava muito cansada, eu embora tivesse muito cansado também estava ligado demais para dormir.

Liguei a tv, abri mais uma garrafa de vinho e fui para o sofá, mas sabe como homem é né?! Sozinho, bebendo e sem nada para fazer, meu pau foi ficando duro e comecei a dar asa para minha imaginação.

Peguei o celular, comecei a ver uns vídeos e me masturbar disfarçadamente, só que o tesão foi aumentando e me empolguei, quando percebi já estava sem shorts, com a cueca no joelho enquanto me masturbava no sofá.

De repente, quem aparece? A Bia, nem ouvi seus passos se aproximarem. Ela vestia uma camisa minha branca, sem sutiã por baixo. A camisa ia até as belas coxas dela, mas consegui notar que usava apenas uma calcinha rosa da Capricho por baixo.

Tentei me recompor e ela disse:

– sabia que ia estar assim, vocês homens são todos iguais. Não precisa esconder nada não.

Tentei me descupar e cobrir meu pau, que estava muito duro, ele mede em torno de 17cm, é bem grosso e tem uma cabeça bem avantajada.

– Mas ela repetiu que não precisava esconder nada.

Entao comecei a reparar no seu corpo, nos seus seios livres embaixo da camisa, eram de fato grandes e embora ela tivesse tido o segundo filho há 2 anos, eles pareciam firmes e os bicos chamavam a atenção na camisa branca seu bucetao marcava a calcinha quando ficava a mostra. Comecei a deseja-la de maneira incontrolável.

Então ela me perguntou se minha esposa sabia disso e que se não soubesse eu teria outra coisa para esconder dela. Nesse momento não resisti, me aproximei dela, puxei pela cintura e tasquei um beijo naqueles lábios carnudos e gostosos.

Sem perder tempo, comecei a acariciar seus seios e sentindo como eles deveriam ser, para matar uma curiosidade que me consumia há anos.

Fui beijando o pescocinho e ela gemendo começou a me punhetar, tirei sua camisa e finamente vi aqueles seios, lindos como imaginava, bicos claros e avantajados, fartos e ainda com boa firmeza. Comecei a chupar seus seios, passando a língua nos mamilos, enquanto apertava o outro. Passei a mão sobre sua calcinha e senti sua xana bem molhada.

Então ela se abaixou e começou a pagar um boquete para mim, chupava meu pau desde a cabeça até o saco, sendo fazia questão de chupar bem molhado na cabeça e passando a língua, coisa que minha esposa não fazia, nessa hora não pensava em mais nada, ela comeceu a chupar com mais força e punhetar ao mesmo tempo, como já estava difícil me segurar eu resolvi retribuir o presente. Botei ela deitada no sofá de pernas abertas e comecei a chupar aquele bocetao, liso e bem carnudo, fui passando a língua lentamente por toda sua buceta até chegar no grelo, fui aumentando a velocidade e variando noa movimentos em seu grelinho, fazia movimentos de cima para baixo e circulares e me deliciava com o líquido que saia de sua xana, oh buceta gostosa que essa mulher tem e literalmente mesmo. Não demorou muito tempo ela gozou, ainda continuei explorando sua buceta com língua por um tempo, até que me levantei e com ela naquela posição eu introduzi meu pau em sua buceta.

Até me surpreendi, que boceta apertadinha tive até um pouco de dificuldade de penetrar embora estivesse bem molhada e meu pau duro como uma rocha e bem latejante.

Comecei socando sua buceta com muita força, enquanto chupava seus seios e passava a língua biquinho, subi para o pescoço, passei pela orelha e dei um beijo bem safado com muita língua nela, enquanto socava sua xana com voracidade.

Então ela pediu para vir por cima, me deitei no sofá e ela sentou de Costas, e começou a quicar com muita força e depois rebolar, eu estava quase hipnotizado com aquilo, era uma delícia ve-la quicando e rebolando no meu pau, admirava sua bunda redondinha e conseguia ver seu cuzinho durante o movimento, seus seios grandes pulando tudo isso parecia uma visão do paraíso.

Depois ela sentou de frente, outra coisa que minha esposa não curtia muito, foi quicando mais devagar enquanto beijava a minha boca, puxei ela pelo cabelo e voltei a mamar aqueles peitos deliciosos, até que ela não resistiu e gozou de novo, rebolando em cima de mim.

Então coloquei ela de 4 e comecei a socar, socava em sua buceta com toda força, fazendo os movimentos bem rápidos estava empolgado de mais com sua buceta naquela posição e vendo seu cuzinho maravilhoso, puxei ela pelo cabelo, chamei de safada, puta, vadia, dei uns tapas em sua raba, ela estava com a xana encharcada, aquela mulher sabia ser uma puta na cama. Dei uns bons tapas na sua cara e ela pedia mais, mandava que eu a fodesse com força e que não parasse.

Tirei o pau de sua buceta e botei na portinha do cu dela, aí ela sussurou no meu ouvido:

– Come meu cuzinho, come seu safado! Acaba comigo hoje.

Botei no cuzinho apertadinho dela e sem fazer cerimônia comecei a socar com velocidade, ela gritava mas mandava que não parasse.

Eu já não estava aguentando mais, coloquei os dedos em sua boca e fui socando cada vez mais fundo em seu cuzinho até que ela gozou de novo. Tentei continuar mas ela me empurrou de leve.

Então tirei o pau de seu cube dei mais uma chupada em sua xereca, o sabor gostoso tinha aquela xana. Quando já tava bem molhadinha, eu botei ela deitada no sofá de novo e voltei a foder aquela boceta de frente.

Era muito gostoso foder e olhar para cara dela, já bem soada com o cabelo bagunçado na frente do rosto, dei um beijo naqueles lábios, tocando nossas línguas, desci para o pescoço e fui descendo até seus seios novamente, aumentei a velocidade sa socada, dei uns 3 tapas na cara dela, chamei de vadia, disse quer era muito bom te-la como minha puta e que a boceta dela era deliciosa.

Ela pediu que eu fodesse mais, disse que era para eu acabar com ela naquela noite, então eu metia cada vez mais.

Até que eu não aguentei e fui tirar meu pau para gozar, ela me prendeu com as pernas e gozamos juntinhos, eu gozei com muita vontade, enchi aquela boceta dela de porra, gozei até a última gota dentro dela.

Quando terminamos demos um beijo bem gostoso e lento e ela me chamou para dormir na cama dela, já que sua irmã, a minha esposa chegaria no dia seguinte por volta das 10hs da manhã.

Dormimos agarradinhos.

Outro dia conto o que rolou na manhã seguinte.

Espero que tenham gostado.

Deixe um comentário



meu conto eróticocontos eroticos sobrinhacontos eroticos gay primoscontos eroticos comi minha sograconto eróticomeu professor me comeuconto erotico maecontos eróticos primacontos eróticos contos eróticoscontos eróticos femininoscontos eroticos chantagemconto eroticocontos eroticos verdadeirocontos eroticontos eroticos infanciacontos eroticos no trabalhocontos erótico gayscontos pornôsconto eroticoscontos eroticos no metroconto putariacontos eroticos insestocontos.eroticosconto erótico gaycontos eroticos analcontos eroticos reaisprimeira vez na casa de swingnovinhos na punhetacontos sexualcontos eroticos de travesticontos eroticos proibidoscontos sobrinhacontos eróticos femininoscuckqueanconto insestorelatos eróticovontos eroticoscontoseroticoscontos eroticos primeira vezcontos eroticos incestuososcontos heroticoconto erotico swingconts eroticoscontos eróticos de incestocontoa eroticoscontos eroticos netcontos eroticos de maecontos eroticos massagemcomi minha prima contosexo com cunhadacontos reais eroticoscontos sacanagemcontos eróticos sogrocontos eroticos sobrinhanovos contos de incestocorno manso contoconto erotico de incestocontos eróticos por categoriacontos eroticos padrastocontos crossdresscontos eroticos padrastoconto erotico sobrinhaconto erotico gravidacontos eroticos recentescontos onibuscontos de coroascontos eroticos encoxadacontos eroticos sogracontos erotucosminha tia gostosacontos eroticos mae do amigocontos cunhadinhaconto erotico pai e filhacontos eróticos lesbicascontos podolatriacontos eroticos sogra